Agência Telebrasil
Expediente


A Telebrasil

Teletrabalho: trabalhadores dizem que modalidade veio para ficar no pós-Covid-19
Agência Telebrasil
13/05/2020

Estudo feito pela Fundação Dom Cabral com a Grant Thornton com 705 profissionais brasileiros indica que mais da metade quer manter o trabalho remoto quando a pandemia do coronavírus passar, mas há desafios a serem superados.

Uma pesquisa da Fundação Dom Cabral com a Grant Thornton com 705 profissionais brasileiros indica que 54% dos entrevistados preferem continuar a trabalhar de forma remota após a pandemia da Covid-19. Quase 40% deles aponta que a produtividade em casa é similar ao escritório. E apesar de um quinto relatar preocupação sobre como serão avaliados pela chefia, mais da metade vi pedir à gestão pela continuidade do trabalho remoto.

O estudo ouviu 705 profissionais, de 18 estados brasileiros, sendo 46% de 24 a 39 anos e 41% de 49 a 58 anos. Um quinto dos entrevistados ocupa uma posição de gestão, 5% são CEOs e 16% gerentes. Mais de 57% atuam no setor de serviços, 17% na indústria, 5,6% no varejo e 8% no agronegócio. A captação dos dados ocorreu entre 23 de março e 5 de abril.

As respostas, segundo análise do coordenador da pesquisa, Fabian Salum, indicam que não há um consenso a respeito da efetividade do trabalho remoto para as pessoas e para as empresas. "O que vemos, considerando um contexto de isolamento social, é que a experiência com home office gerou novas percepções, para indivíduos e empresas, mas não se sabe ainda como as mudanças de agora seguirão depois", afirma.

Metade dos entrevistados avalia que o espaço que possuem em casa, bem como as ferramentas disponíveis, são suficientes para trabalhar em casa. A análise qualitativa indica que há uma preocupação maior com a segurança das informações, com ataques cibernéticos e se essas ferramentas digitais de comunicação são seguras, reforça Salum.

Entre os desafios apontados, apareceram a resistência de gestores e a não adequação da cultura empresarial ao home office. Somente um terço dos respondentes afirmou que seu gestor ou líder é "eficaz em ajudá-lo a lidar com o trabalho remoto". "O home office, que veio forçado para muitas empresas, não exige só equipamentos. Mas também uma nova forma de liderar, de diálogo, de comunicação e para avaliar as pessoas, por exemplo", completa o coordenador da pesquisa.

LEIA TAMBÉM:

14/05/2020
30 governos já usam plataforma das operadoras para medir isolamento social

13/05/2020
Teletrabalho: trabalhadores dizem que modalidade veio para ficar no pós-Covid-19




Usuários de serviços de telecom pagaram R$ 65 bilhões em tributos no ano passado

Recolhimento foi o mais alto dos últimos 20 anos, tanto em volume arrecadado quanto em percentual sobre a receita.

...

LEIA MAIS



30 governos já usam plataforma das operadoras para medir isolamento social

Durante a live “Mobile Big Data no combate à pandemia”, do Mobile Time, o presidente-executivo do ...

LEIA MAIS



Mitsubishi Electric cria programa de capacitação gratuita nas novas tecnologias

Empresa global de automação centraliza os treinamentos em big data, machine learning e IoT. As aulas acontecem por meio de apre ...

LEIA MAIS



Organizações reclamam da falta de qualificação dos profissionais de Internet das Coisas

Lacuna de habilidades é um dos pontos críticos para o incremento dos negócios conectados, revela a pesquisa IoT Signals, produz ...

LEIA MAIS



Agência Telebrasil Copyright © 2018-2020 Telebrasil - Associação Brasileira de Telecomunicações
A Reprodução do conteúdo da Agência Telebrasil é autorizada mediante a indicação da fonte