Agência Telebrasil
Expediente


A Telebrasil

TIM: é hora de o Brasil romper o círculo vicioso de uma regulação pré-histórica
Agência Telebrasil
23/05/2018

Na sua apresentação no Painel Telebrasil 2018, o presidente da TIM Brasil, Stefano De Angelis, enfatizou que o Brasil precisa avançar para não ficar pra trás no mundo digital.

O presidente da TIM Brasil, Stefano De Angelis, defendeu que o Brasil precisar romper o círculo vicioso de uma regulação pré-histórica, uma alta carga tributária e fundos não aplicados e evoluir para um círculo virtuoso que inclua imediata revisão regulatória, aplicação dos fundos setoriais e uma desoneração que se reflita em preços mais acessíveis para os consumidores.

Segundo ele, o novo paradigma é a banda larga, e o Brasil possui uma penetração baixa na oferta fixa, de apenas 40%, com um crescimento anual de apenas 1 ponto percentual. “Se continuarmos assim, vamos chegar a 2050 com penetração de 50%. Não é algo que o País pode aceitar, crescer apenas 1 ponto ao ano. Precisamos fazer algo para os próximos cinco anos, a exemplo do que ocorreu com a tecnologia wireless. Hoje o 4G já tem 93% de cobertura e cresceu 115% em março de 2018, uma tecnologia que há três anos quase nem existia", destacou o executivo.

De Angelis observou que a oferta da banda larga pode ser feita por meios alternativos, entre eles, por fibra óptica até a residência, o FTTH, que está em expansão. Mas reforçou que o acesso wireless tem custo seis vezes menor e tempo de desenvolvimento muito mais baixo. Devido ao custo, a expansão via FTTH demandaria 20 anos, mas o acesso wireless poderia acelerar o atendimento. “Esse é um ativo que tem de ser desenvolvido pela indústria com apoio do poder público”, sugeriu.

De Angelis afirmou que, devido às diferenças socioeconômicas, o problema da banda larga não existe para os 10% mais ricos, para os quais a penetração é de 68%. Segundo ele, é na parcela dos 60% mais pobres que o setor pode construir as oportunidades de negócio.

Entre as propostas para as telecomunicações, ele defendeu a necessidade de priorizar os investimentos a partir dos recursos que surgirão após a aprovação do PLC 79 e da liberação dos fundos setoriais. Ele destacou ainda o acesso à infraestrutura de dutos e postos. E advertiu que não se priorize a arrecadação nos futuros leilões. “Para cada real a mais pago pelas frequências, são menos investimentos”, resumiu De Angelis.

Assista a íntegra da apresetação do presidente da TIM Brasil no Painel Telebrasil 2018.

LEIA TAMBÉM:

07/09/2018
Painel TELEBRASIL 2019 será vitrine de soluções com TICs

01/08/2018
Expansão das telecomunicações garantiu crescimento econômico ao Brasil

01/08/2018
Legislação precisa migrar do passado para o futuro

31/07/2018
Anatel: números expressam o sucesso do modelo

31/07/2018
Vinte anos de privatização das telecomunicações

09/07/2018
Aprovação do PLC 79/16 abre espaço para mais serviços via satélite

18/06/2018
Tributo "Zero" para um Brasil no Século XXI

18/06/2018
Na era digital, o Brasil é o país que mais cobra impostos sobre os serviços aos consumidores

18/06/2018
Expansão da banda larga passa pelo uso correto dos fundos setoriais

18/06/2018
Como agente arrecador do Fisco, Anatel tem a missão de buscar a eficiência no setor




Hospital Santa Paula investe na personalização do atendimento com transformação digital

Instituição adota novas tecnologias, mas, mais do que tudo, investe na qualificação do profissional para lidar com as novas fer ...

LEIA MAIS



Só com mão de obra capacitada, o Brasil terá uma agricultura 4.0

Com o maior uso de tecnologia, há uma demanda significativa de profissionais para o campo com o domínio de TICs, diz a chefe-ge ...

LEIA MAIS



A economia digital é prioridade na agenda de companhias e governo

Na nova era, estratégias baseadas na utilização e massificação das Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs) são essenciai ...

LEIA MAIS



Agência Telebrasil Copyright © 2018-2019 Telebrasil - Associação Brasileira de Telecomunicações
A Reprodução do conteúdo da Agência Telebrasil é autorizada mediante a indicação da fonte