Agência Telebrasil
Expediente


A Telebrasil

Serviços móveis alcançam 98,2% da população brasileira
Agência Telebrasil
06/09/2018

Levantamento da Agência Nacional de Telecomunicações confirma que o atendimento dos serviços de celulares está amplamente massificado no País. Segundo o órgão regulador, apenas 3,8 milhões de brasileiros não têm acesso ao serviço de celular, o que representa 1,8% da população, que é de 206 milhões. Isso mostra que 98,2% têm acesso aos serviços, segundo a Anatel.

A Associação Brasileira de Telecomunicações  - Telebrasil - já vem alertando, há alguns anos, em seus estudos e propostas, para a necessidade de uso de fundos setoriais, como o Fust, e de alteração do marco regulatório, para permitir o atendimento a áreas remotas e à população de baixa renda.

Importante destacar que as metas de cobertura, determinadas nos leilões das licenças de telefonia móvel, não incluem todos os distritos. As regras preveem o atendimento de 80% da área urbana do distrito sede e mais uma faixa de 30 quilômetros além dos limites do distrito sede. Distritos que estiverem fora dessa área não estão nas obrigações de cobertura.

A meta foi definida dessa maneira porque a prioridade do governo para esses leilões foi ter uma arrecadação elevada com a venda das licenças e não ter a cobertura dos distritos. As estradas e áreas mais distantes sempre foram desconsideradas nos editais.

As redes das prestadoras, no entanto, têm uma cobertura muito maior que a obrigação. E não estamos falando só de telefonia celular, mas de acesso à internet móvel, que é a grande demanda da população. A cobertura de 3G está em 5.301 municípios, onde moram 99,3% da população brasileira, e o 4G já chega em 4.122 municípios brasileiros, onde moram 94,4% da população.

Essa cobertura está muito além das metas: a do 4G é quase quatro vezes superior à última obrigação, de 1.079 municípios, e a meta atual de 3G é de 3.917 municípios.

As telecomunicações e as Tecnologias da Informação, integradas nas TICs, têm que ser consideradas como essenciais e estruturantes pelos governos, porque são elas a principal alavanca para o desenvolvimento sustentável, com inclusão social, com geração de emprego e renda de alto valor adicionado.

LEIA TAMBÉM:

07/11/2018
Por uma política pública de fomento à economia digital

07/11/2018
Com taxação excessiva, Brasil corre sério risco de perder o bonde da economia digital

06/11/2018
Telecomunicações são essenciais para o Brasil

06/11/2018
Tudo será digital em muito pouco tempo

05/11/2018
Telecomunicações precisam entrar na agenda prioritária do Governo

05/11/2018
Área técnica da Anatel avalia novas faixas de espectro para o 5G

05/11/2018
Banda larga móvel puxa o crescimento econômico

05/11/2018
O ano de 2019 marcará a volta do crescimento do setor e do consumo

02/11/2018
Operadoras de telefonia orientam seus assinantes para a mudança oficial do horário de verão

04/10/2018
Reclamações dos usuários de serviços de telecomunicações caem 18,8% nos últimos 12 meses




 

Na era digital, o Brasil é o país que mais cobra impostos sobre os serviços aos consumidores

Serviços bons e mais baratos dependem de políticas públicas que permitam baixar a carga de quase 50% de impostos paga hoje pelo ...

LEIA MAIS



Painel TELEBRASIL 2019 será vitrine de soluções com TICs

A edição 63 do Painel Telebrasil, que acontecerá nos dias 21, 22 e 23 de maio de 2019, em Brasília, terá como atração o FórumGo ...

LEIA MAIS



Banda larga móvel puxa o crescimento econômico

Estudo da União Internacional de Telecomunicações mostra que, a cada 10% de penetração das conexões internet, o Produto Interno ...

LEIA MAIS



Brasil despenca em ranking de competitividade

País ocupa a 125ª posição em habilidades digitais e é o penúltimo colocado, perdendo apenas para a Venezuela, como prepara ...

LEIA MAIS



Agência Telebrasil Copyright © 2018 Telebrasil - Associação Brasileira de Telecomunicações
A Reprodução do conteúdo da Agência Telebrasil é autorizada mediante a indicação da fonte