Agência Telebrasil
Expediente


A Telebrasil

Profissional do futuro é atento, curioso e despreza a zona de conforto
Agência Telebrasil
11/07/2019

Mais do que pensar nas demandas de TICs, o Brasil precisa pensar em profissionais com bases tecnológicas mais sólidas, que possam acompanhar a rápida evolução de um mundo cada vez mais digital, pontua o CEO da Logicalis para a América Latina, Rodrigo Parreira.

Mais do que pensar nas demandas de TICs, o Brasil precisa pensar em profissionais com bases tecnológicas mais sólidas, que possam acompanhar a rápida evolução de um mundo cada vez mais digital. “As tecnologias se reconfiguram muito rapidamente e o profissional tem de ter os elementos básicos para se reconstruir ao longo da carreira”, pontua o CEO da Logicalis para a América Latina, Rodrigo Parreira.

O executivo lembra que o mundo vive uma das mais profundas transformações econômicas de base tecnológica. Automação, Inteligência Artificial, Computação Quântica, IoT, dentre outras tendências, classificam esse período, segundo analistas, como a quarta revolução industrial. Parreira observa que há um ambiente de clara fragmentação no mundo do trabalho.

Em artigo recente, o CEO da Logicalis América Latina disse que, “em tempos de Uber, vale a pena nos perguntarmos se há uma perspectiva nos empregos clássicos ou se estamos entrando em um ambiente no qual dominarão as tarefas, anunciadas e contratadas online. Pílulas de trabalho informal, muito específicas, que compõem projetos maiores e são baseadas em conhecimentos e competências limitadas àquela atividade.”

No texto, o executivo assinalou ainda que “é fundamental, hoje, por conta da transformação digital, entender a velocidade com que essas transições no mercado de trabalho acontecerão. Se a inovação tecnológica for muito mais rápida do que sua reacomodação, veremos consequências sociais e políticas graves nos próximos anos, com crescimento do desemprego e da exclusão. Poucos governos – a nível mundial e, em particular, na América Latina – parecem entender a natureza desse processo.”

À Newsletter da Telebrasil, Rodrigo Parreira enumera uma qualidade para o profissional do futuro: o poder de síntese terá de ser maior do que o da análise, o que significa apostar na inovação, na criatividade e no novo para reconfigurar a tecnologia. “Acredito fortemente na convergência da tecnologia com o lado humano. Temos é que instigar a interação da melhor forma possível para criar o valor desejado.”

Os profissionais capacitáveis são, hoje, o objeto de consumo das empresas, sejam elas de TICs ou não, uma vez que, ao fim do dia, são eles que serão moldados para a construção dos negócios. Mas Parreira admite: profissionais capacitáveis, ou seja, aqueles que são uma boa matéria-prima para evolução, estão escassos, em especial, na América Latina. Assistam à entrevista com o CEO da Logicalis América Latina, Rodrigo Parreira.

TICs - Tecnologias da Informação e Comunicação

LEIA TAMBÉM:

15/08/2019
BRICS: Telecomunicações são essenciais à economia digital

06/08/2019
ConTIC declara apoio integral à aprovação da MP da Liberdade Econômica

02/08/2019
Telecomunicações e Finanças lideram adoção da transformação digital

29/07/2019
Sem pessoal, o sistema de Ciência e Tecnologia está em risco no Brasil

11/07/2019
Brasil tem de ensinar as profissões do futuro

11/07/2019
Congresso precisa se sensibilizar para demanda de mão de obra em TICs

11/07/2019
Profissional do futuro é atento, curioso e despreza a zona de conforto

11/07/2019
Para governo, qualificação em TICs deve começar na escola

11/07/2019
Setor de TICs é que sabe onde estão as maiores demandas de qualificação

11/07/2019
Competitividade brasileira virá com mão de obra mais qualificada




Mitsubishi Electric cria programa de capacitação gratuita nas novas tecnologias

Empresa global de automação centraliza os treinamentos em big data, machine learning e Internet das Coisas. As aulas acontecem ...

LEIA MAIS



Especialistas descartam impacto de antenas e smartphones na saúde

Cobertura especial feita pela Newsletter Telebrasil mostra a falta de fundamento científico na onda de desinformação que avanço ...

LEIA MAIS



"Não há provas científicas contra antenas e telefones celulares", diz Renato Sabbatini

O CEO do Instituto Edumed e autor do relatório científico sobre o tema na Comissão Latino-americana de Altas Frequências e Saúd ...

LEIA MAIS



Potência de antenas celulares é muito baixa para causar danos à saúde

A afirmação é do diretor do Instituto Nacional de Telecomunicações, Carlos Nazareth Motta Marins. Ele refuta qualquer possibili ...

LEIA MAIS



Agência Telebrasil Copyright © 2018-2019 Telebrasil - Associação Brasileira de Telecomunicações
A Reprodução do conteúdo da Agência Telebrasil é autorizada mediante a indicação da fonte