Agência Telebrasil
Expediente


A Telebrasil

Mais de 4 mil pedidos de instalação de novas antenas de celular aguardam licenciamento no Brasil
Agência Telebrasil
25/12/2018

As licenças para a instalação dessas antenas, quando aprovadas, vão permitir investimentos de R$ 2 bilhões e geração de 45 mil empregos.

Em todo o País, mais de 4 mil pedidos de instalação de novas antenas de celular e internet móvel aguardam licenciamento pelas prefeituras de grandes cidades brasileiras. O levantamento, considerando os 100 maiores municípios que constam do Ranking das Cidades Amigas da Internet, mostra que os grandes entraves são as legislações municipais defasadas, burocracia e o longo prazo para a liberação das licenças. A instalação dessas novas antenas, além de melhorar a cobertura e a distribuição do sinal de celular nas cidades, principalmente para a internet móvel, vai representar um investimento de R$ 2 bilhões e geração de mais de 45 mil empregos.

Atualmente, o Brasil tem 92 mil antenas em todos os municípios brasileiros, mas com o uso cada vez maior de vídeos a crescente demanda por novos serviços, será necessário um número cada vez maior de antenas e a instalação de fibra óptica. As previsões são de que, entre 2016 e 2021, o tráfego de dados móveis em smartphones vai crescer 12 vezes.

Enquanto o mundo fala em cidades inteligentes, Internet das Coisas e 5G, grandes cidades brasileiras, entre elas algumas capitais, estão presas a legislações antigas, muitas delas de uma época em que a tecnologia ainda era o 2G e pouco se usava a internet móvel. Hoje, todos querem mobilidade e fazem um uso intenso do celular para várias atividades. Segundo a pesquisa PNAD, do IBGE, 96% dos internautas brasileiros usam o celular para navegar e consultam seus aparelhos 78 vezes por dia.

Em função da defasagem das leis municipais, o processo de licenciamento de antenas tem levado mais de um ano em média no País, enquanto a Lei Geral de Antenas, aprovada pelo Congresso em 2015, define prazo máximo de 60 dias, o que deveria ser incorporado pelas legislações municipais, promovendo uma atualização nas regras de instalação de infraestrutura.

Esses problemas têm colocado grandes cidades brasileiras entre as últimas posições no Ranking das Cidades Amigas da Internet. De acordo com a edição 2018 do ranking, cidades como Brasília, São Paulo, Fortaleza e Belo Horizonte estão entre as dez piores em condições para a instalação de infraestrutura, dificultando o processo de expansão dos serviços promovido pelas prestadoras.

São Paulo

Em São Paulo, por exemplo, há mais de dois anos não se libera licenças, enquanto isso, o projeto de lei para atualizar a legislação está aguardando há mais de um ano para ser votado na Câmara Municipal. As prestadoras estão com 1.200 pedidos de licença de antenas prontos, aguardando a aprovação da lei paulistana, o que vai gerar R$ 600 milhões de investimentos e 13 mil empregos no município.

A implantação de leis mais modernas para a instalação de antenas e infraestrutura é essencial não só para a expansão da cobertura, mas para a oferta de serviços inteligentes no município, como a Internet das Coisas, que terá papel preponderante nas áreas de segurança, mobilidade urbana, controle de iluminação pública, saúde e educação. Sem a nova lei, a adoção da nova tecnologia de 5G para os serviços móveis ficará bastante comprometida, já que o 5G vai exigir um número de antenas cinco vezes maior que o 4G.

Nesse sentido, o SindiTelebrasil reitera a importância e urgência do envolvimento das autoridades municipais para que as legislações sejam atualizadas, permitindo a expansão e a melhoria contínua da qualidade dos serviços e o desenvolvimento sustentável das cidades brasileiras. A edição 2019 do Ranking das Cidades Amigas da Internet será lançada no 63º Painel Telebrasil, que ocorrerá nos dias 21,22 e 23 de maio de 2019, em Brasília.

 

LEIA TAMBÉM:

12/08/2019
Especialistas descartam impacto de antenas e smartphones na saúde

12/08/2019
Anatel: fake news que associam riscos à telefonia móvel não têm respaldo técnico

12/08/2019
"Não há provas científicas contra antenas e telefones celulares", diz Renato Sabbatini

12/08/2019
Potência de antenas celulares é muito baixa para causar danos à saúde

12/08/2019
Onda de desinformação é que faz mal às pessoas

12/08/2019
Estudioso do big bang sustenta que radiação de antenas e celulares não causa câncer

07/08/2019
A cada dois dias um novo município é conectado com redes 4G no Brasil

28/06/2019
Brasil ativa 10 milhões de celulares 4G desde o início do ano

27/06/2019
Governo quer a regulamentação das Antenas para resolver conflitos com direito de passagem

31/05/2019
Brasil já tem 138 milhões de celulares 4G




Mitsubishi Electric cria programa de capacitação gratuita nas novas tecnologias

Empresa global de automação centraliza os treinamentos em big data, machine learning e Internet das Coisas. As aulas acontecem ...

LEIA MAIS



Especialistas descartam impacto de antenas e smartphones na saúde

Cobertura especial feita pela Newsletter Telebrasil mostra a falta de fundamento científico na onda de desinformação que avanço ...

LEIA MAIS



"Não há provas científicas contra antenas e telefones celulares", diz Renato Sabbatini

O CEO do Instituto Edumed e autor do relatório científico sobre o tema na Comissão Latino-americana de Altas Frequências e Saúd ...

LEIA MAIS



Potência de antenas celulares é muito baixa para causar danos à saúde

A afirmação é do diretor do Instituto Nacional de Telecomunicações, Carlos Nazareth Motta Marins. Ele refuta qualquer possibili ...

LEIA MAIS



Agência Telebrasil Copyright © 2018-2019 Telebrasil - Associação Brasileira de Telecomunicações
A Reprodução do conteúdo da Agência Telebrasil é autorizada mediante a indicação da fonte