Agência Telebrasil
Expediente


A Telebrasil

Brasil sobe três posições, mas ainda segue nas últimas posições do ranking de Competitividade Mundial 2019
Agência Telebrasil
04/06/2019

País até melhorou de posição, mas segue entre os cinco países menos competitivos do ranking Anuário de Competitividade Mundial 2019, produzido pela escola suíça IMD, que no Brasil, contou com a parceria da Fundação Dom Cabral.

O Brasil subiu uma posição, mas continua entre os cinco países menos competitivos do ranking Anuário de Competitividade Mundial 2019 (World Competitiveness Yearbook), realizado pela escola suíça IMD e, no Brasil, em parceria com a Fundação Dom Cabral. Na lista, que avalia 63 países, o Brasil ficou em 59º lugar: em relação a 2018, houve um ganho de três posições.

De acordo com Carlos Arruda, diretor do Núcleo de Inovação e Empreendedorismo da Fundação Dom Cabral e coordenador do estudo no Brasil, o avanço do país no ranking está relacionado à simplificação dos marcos regulatórios no país — entre eles a redução no número de dias para abertura de empresas (20,5 dias em 2019 contra 79,5 dias em 2018, tomando como base a cidade de São Paulo) e para exportação de serviços ligados à tecnologia da informação (55,9 em 2017 contra 54,7 em 2016).

O Brasil ficou em último lugar (63ª) no quesito spread da taxa de juros (taxa média de 32,21% ao ano em 2018, enquanto a média de todos os países pesquisados é de 3,89%). Quando se trata de indicadores de gestão, o Brasil fica entre os 10 países menos competitivos do relatório: agilidade (57º), uso de big data e analytics (60ª), capacidade de se antecipar às mudanças no mercado (55º).

Também teve desempenho ruim nos fatores ligados à relação entre setores público e privado: compliance dos contratos públicos (62º), burocracia (62º), equidade de oportunidades (62º), e balanço das contas governamentais (62º), corrupção (58º), transparência (51º).

“Corremos o risco de perder a força da capacidade empresarial de longo prazo e ficarmos igual à Argentina: com baixa eficiência do setor produtivo", afirma Arruda. O professor diz que o cenário negativo é comum à América Latina como um todo, uma vez que a produtividade da região tem se mantido baixa. "O Chile, que é líder em produtividade entre os latinos, foi da 35ª posição para a 42ª no relatório de 2019", completa o pesquisador.

A Telebrasil, desde 2014, apresenta propostas para melhorar a posição do Brasil nos rankings de competitividade por meio do uso das ferramentas de Telecomunicações e das TICs. O uso apropriado das TICs permite, entre outros, modernizar a gestão pública e aprimorar a oferta de serviços aos cidadãos. O Painel Telebrasil 2019, realizado de 21 a 23 de maio, em Brasília, teve como tema central de discussão o uso de políticas públicas para viabilizar um novo Brasil por meio da Transformação Digital.

LEIA TAMBÉM:

02/08/2019
Seis em cada 10 brasileiros usam meios digitais de pagamentos

19/06/2019
Ranking Cidades Amigas da Internet tem São José dos Campos na liderança e Porto Alegre como a melhor capital

19/06/2019
Após simplificar processo de instalação de antenas, São José dos Campos se torna a primeira no Ranking Cidades Amigas da Internet

19/06/2019
Uberlândia, em MG, lidera o Ranking Serviços de Cidades Inteligentes

19/06/2019
Porto Alegre revoga lei 'pouquíssimo racional e antiga' para atrair investimentos e promover a inclusão digital

19/06/2019
Fortaleza reformula lei de antenas municipal e ganha 75 posições no Ranking Cidades Amigas da Internet

19/06/2019
Teleco: adequação à Lei das Antenas e agilidade nos processos fazem a diferença

19/06/2019
Lei das Antenas: órgãos federais são obrigados a cumprir a MP 881 e acelerar instalação de infraestrutura

19/06/2019
MCTIC: investimentos em cidades inteligentes têm de ser perenes

19/06/2019
Sem antenas, Brasil fica bem longe dos benefícios do 5G




Mitsubishi Electric cria programa de capacitação gratuita nas novas tecnologias

Empresa global de automação centraliza os treinamentos em big data, machine learning e Internet das Coisas. As aulas acontecem ...

LEIA MAIS



Especialistas descartam impacto de antenas e smartphones na saúde

Cobertura especial feita pela Newsletter Telebrasil mostra a falta de fundamento científico na onda de desinformação que avanço ...

LEIA MAIS



"Não há provas científicas contra antenas e telefones celulares", diz Renato Sabbatini

O CEO do Instituto Edumed e autor do relatório científico sobre o tema na Comissão Latino-americana de Altas Frequências e Saúd ...

LEIA MAIS



Potência de antenas celulares é muito baixa para causar danos à saúde

A afirmação é do diretor do Instituto Nacional de Telecomunicações, Carlos Nazareth Motta Marins. Ele refuta qualquer possibili ...

LEIA MAIS



Agência Telebrasil Copyright © 2018-2019 Telebrasil - Associação Brasileira de Telecomunicações
A Reprodução do conteúdo da Agência Telebrasil é autorizada mediante a indicação da fonte