Agência Telebrasil
Expediente


A Telebrasil

Brasil projeta 5 milhões de conexões 5G em 2022
Agência Telebrasil
13/03/2019

Grande impulsionador do tráfego móvel de dados continua sendo o vídeo. Estudo mostra que, em 2022, o tráfego móvel mundial atingirá a taxa anual de 1 zettabyte. Conexões de Internet das Coisas vão chegar a 4 bilhões no mundo nos próximos cinco anos.

O vídeo é o grande impulsionador da demanda por tráfego móvel no mundo e, particularmente, no Brasil, revela o estudo Mobile Visual Networking Index (VNI) 2019, divulgado pela Cisco. O levantamento aponta que o 4G se firma como a principal tecnologia móvel, com as redes 3G servindo de base para a migração. As redes 2G caminham para a extinção e o 5G começa a surgir para, em 2022, responder por 3% de todas as conexões mundiais móveis e por quase 12% do tráfego móvel global de dados.

A tendência de explosão do tráfego móvel confirma-se a cada estudo divulgado no mercado. O cenário que se desenha mostra um ambiente com muito mais usuários e aumento de dispositivos máquina-a-máquina, gerando cada vez mais conexões e a uma velocidade maior. Além disso, o vídeo tem impulsionado o tráfego móvel de dados em todo o mundo e, em especial, no Brasil. No País, a projeção é que haverá cinco milhões de conexões 5G em 2022, respondendo por 4,8% do tráfego móvel.

O relatório mostra ainda que, há pouco mais de 10 anos, o tráfego móvel representava 5% do total. Em 2022, responderá por 20%, chegando a 930 exabytes por ano. Isso significa que, nos últimos cinco anos, o tráfego cresceu 17 vezes e vai crescer ainda mais. O estudo aponta que, em cinco anos, o tráfego nas redes móveis terá quase atingido a taxa anual de 1 zettabyte. Em 2017, segundo o VNI, havia 5 bilhões de usuários da rede móvel no mundo, e, nos próximos cinco anos, esse número aumentará em 0,5 bilhão, atingindo a marca de 5,5 bilhões de usuários, cerca de 71% da população global.

O estudo Mobile Visual Networking Index (VNI) 2019 mostrou ainda que, em 2022, serão mais 4 bilhões de conexões IoT mundialmente. Neste ano, a expectativa é alcançar 1,8 bilhão de conexões e, no ano que vem, chegar a 2,4 bilhões. O tráfego móvel a partir de módulos M2M passará de 216 MBs ao mês em 2017 para 448 MBs em 2022, na média global.

Os chamados dispositivos não-smartphones e que não se enquadram como módulos M2M responderão por 224 MBs ao mês em 2022, um salto em comparação aos 50 MBs de 2017. Por verticais de negócio, a casa conectada lidera em absoluto, com o maior número de conexões M2M e IoT.

LEIA TAMBÉM:

18/06/2019
Anatel diz que regulamentação não será entrave para Internet das Coisas

11/06/2019
Huawei: TICs são a base da era das coisas conectadas e inteligentes

11/06/2019
Nokia: Para trazer mais investimentos, o Brasil precisa de reformas macro e microeconômicas

11/06/2019
Ericsson: um ano de atraso na implantação do 5G e o governo deixará de arrecadar R$ 25 bilhões até 2025

11/06/2019
Agricultura 4.0 é movida à conectividade

11/06/2019
Cobertura e qualidade de serviços dependem de avanços nas condições de investir e instalar redes

23/05/2019
5G é oportunidade para o salto da competitividade brasileira

21/05/2019
Oi: prestadoras são desafiadas a entregar qualidade aos clientes

21/05/2019
Qualcomm: 5G leva serviços móveis à missão crítica

21/05/2019
5G exige muito espectro para entregar o que promete




Mitsubishi Electric cria programa de capacitação gratuita nas novas tecnologias

Empresa global de automação centraliza os treinamentos em big data, machine learning e Internet das Coisas. As aulas acontecem ...

LEIA MAIS



Especialistas descartam impacto de antenas e smartphones na saúde

Cobertura especial feita pela Newsletter Telebrasil mostra a falta de fundamento científico na onda de desinformação que avanço ...

LEIA MAIS



"Não há provas científicas contra antenas e telefones celulares", diz Renato Sabbatini

O CEO do Instituto Edumed e autor do relatório científico sobre o tema na Comissão Latino-americana de Altas Frequências e Saúd ...

LEIA MAIS



Potência de antenas celulares é muito baixa para causar danos à saúde

A afirmação é do diretor do Instituto Nacional de Telecomunicações, Carlos Nazareth Motta Marins. Ele refuta qualquer possibili ...

LEIA MAIS



Agência Telebrasil Copyright © 2018-2019 Telebrasil - Associação Brasileira de Telecomunicações
A Reprodução do conteúdo da Agência Telebrasil é autorizada mediante a indicação da fonte