Agência Telebrasil
Expediente


A Telebrasil

Brasil precisa criar diretrizes em inteligência artificial
Agência Telebrasil
17/06/2019

Para o analista principal da consultoria Ovum para a América Latina, Ari Lopes, o País tem de identificar oportunidades para não ficar apenas como consumidor de tecnologia. Para ele, a indústria de telecomunicações é que tem o maior potencial de receitas associadas à IA, principalmente, com o 5G.

A onda da inteligência artificial está apenas começando, mas alguns países já se movimentam para orientar pesquisas e definir investimentos nesse segmento promissor, especialmente para o setor de telecomunicações, que tem o maior potencial de receitas associadas à tecnologia. Como destacou o principal analista da consultoria Ovum para a América Latina, Ari Lopes, mesmo sem a força das nações mais ricas, o Brasil precisa entrar nesse jogo.

Para o especialista, o Brasil não possui recursos humanos ou de capital para realizar pesquisas no tamanho que China, Estados Unidos e União Europeia estão fazendo, mas precisa pensar em colaborar.

“Nossos institutos de pesquisa e órgãos governamentais deveriam pensar em como inserir o Brasil nessas pesquisas neste momento. Isso daria ao País a possibilidade de identificar oportunidades de, se não puder abarcar tudo, onde concentrar recursos. Se não fizermos isso, vamos ser o que somos, consumidores de tecnologias prontas que vêm do exterior”, disse Lopes.

Ainda de acordo com o analista, o Brasil precisa definir diretrizes para o uso da Inteligência Artificial, especialmente, com as pesquisas, que precisam ser éticas, seguras e tratar a informação das pessoas de forma transparente. “O que sugiro é que se definam diretrizes de consenso”, salientou Lopes.

Para a Ovum, a Inteligência Artificial é especialmente atrativa para a indústria de telecomunicações. “Com o advento do 5G, as redes vão ficar cada vez mais complexas, com pelo menos dez vezes mais o número de sites. Não será possível gerir a rede como hoje, porque haverá uma quantidade imensa de parâmetros para monitorar.” O executivo participou do Painel Telebrasil 2019, realizado de 21 a 23 de maio, em Brasília. Assistam à entrevista.

LEIA TAMBÉM:

18/06/2019
Anatel diz que regulamentação não será entrave para Internet das Coisas

18/06/2019
LCA Consultores: Brasil Digital requer dar prioridade às telecomunicações

17/06/2019
Brasil precisa criar diretrizes em inteligência artificial

12/06/2019
Painel Telebrasil aponta caminhos para um novo ciclo de investimentos

12/06/2019
Qualcomm: 5G tem papel crucial na transformação digital e na competitividade da economia

11/06/2019
Transformação digital exige vontade política para destravar investimentos

11/06/2019
Huawei: TICs são a base da era das coisas conectadas e inteligentes

11/06/2019
Brasil Digital passa por uma mudança de cultura

11/06/2019
Nokia: Para trazer mais investimentos, o Brasil precisa de reformas macro e microeconômicas

11/06/2019
Prestadoras são os grandes atores da plataforma digital


 

Formação de mão de obra atual não atende demanda do setor de TICs

Em debate na Câmara dos Deputados, a Confederação Nacional da Tecnologia da Informação e Comunicação (Contic), entidade que reú ...

LEIA MAIS



Governo quer a regulamentação das Antenas para resolver conflitos com direito de passagem

Em que pese a previsão em Lei de que o uso do direito de passagem é gratuito, nem o próprio governo segue essa disciplina, admi ...

LEIA MAIS



A economia digital é prioridade na agenda de companhias e governo

Na nova era, estratégias baseadas na utilização e massificação das Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs) são essenciai ...

LEIA MAIS



Agência Telebrasil Copyright © 2018-2019 Telebrasil - Associação Brasileira de Telecomunicações
A Reprodução do conteúdo da Agência Telebrasil é autorizada mediante a indicação da fonte