Anatel: Aos 21 anos, Lei Geral das Telecomunicações precisa ser revisada - Agência Telebrasil

Agência Telebrasil
Expediente


A Telebrasil

Anatel: Aos 21 anos, Lei Geral das Telecomunicações precisa ser revisada
Agência Telebrasil
17/07/2018

A Lei Geral de Telecomunicações completou 21 anos nesta segunda-feira, 16 de julho. A maioridade foi festejada pela Anatel, mas também é motivo de cobranças. Em informe comemorativo, o presidente da agência reguladora, Juarez Quadros, exalta os feitos alcançados nessas duas décadas, mas cobra mudanças urgentes para a adequação da legislação à economia digital.

"Uma agenda pública, bem estruturada, envolvendo Executivo e Legislativo, precisa discutir a questão, pois não dá mais para manter o modelo separando telefonia fixa dos demais serviços de telecomunicações. O acesso ao telefone, essencial no passado, requer, agora, o acesso à banda larga", preconiza Quadros.  A Agência Telebrasil publica a íntegra do documento.

A Lei Geral de Telecomunicações (LGT), de 16 de julho de 1997, de autoria do Poder Executivo, aprovada pelo Poder Legislativo, nos seus 216 artigos representou uma solução para as questões que se apresentavam à época quanto à ordem institucional, econômica e tecnológica, cuja performance, no momento, reflete 323,6 milhões de acessos de telecomunicações no País, sendo 40,3 milhões de telefones fixos, 235,4 milhões de celulares, 30,1 milhões de acessos de banda larga fixa e 17,8 milhões de TV por assinatura.

A situação analisada em 1997 é diferente da atual e da que virá nos próximos anos. Um ano após a sanção da LGT, em 1998, momento da desestatização do setor, havia no País: 20 milhões de telefone fixos; 5,6 milhões de celulares; 2,6 milhões de TV por assinatura e os acessos de banda larga ainda não existiam.

Uma das decisões significativas para as telecomunicações foi exatamente a criação da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), cujas competências foram previamente estabelecidos pela LGT. Assim, no decorrer de sua existência a Agência tem atuado com a seriedade, independência, imparcialidade, legalidade, impessoalidade e transparência, como devem agir as agências reguladoras brasileiras.

A LGT dispôs sobre os princípios fundamentais do modelo, tratou da criação da Agência reguladora, políticas setoriais, organização dos serviços e reestruturação do setor, nos termos da Emenda Constitucional nº 8, de 1995. Passados vinte e um anos da entrada em vigor de uma Lei bem elaborada; cujos alicerces são a universalização e a competição, com regras constitucionais e legais amplamente debatidas, sobre as quais o Supremo Tribunal Federal também se pronunciou; apresenta-se uma pergunta. Por quanto tempo fará sentido a manutenção desse modelo?

Uma agenda pública, bem estruturada, envolvendo Executivo e Legislativo, precisa discutir a questão, pois não dá mais para manter o modelo separando telefonia fixa dos demais serviços de telecomunicações. O acesso ao telefone, essencial no passado, requer, agora, o acesso à banda larga. O fundo de universalização criado pela Lei, e disposto em lei específica, não se aplica à banda larga. As ações políticas desenvolvidas têm sido insuficientes para a solução do problema. Mesmo assim, festejemos no dia de hoje os 21 anos de LGT, que merece aplausos, pois, promoveu ambicioso desenvolvimento das telecomunicações no Brasil.

 
Brasília, 16 de julho de 2018.

Juarez Quadros do Nascimento,

Presidente do Conselho Diretor da Anatel

LEIA TAMBÉM:

09/08/2018
Índice de reclamações de usuários de telecom cai 15,6% no 1º semestre

02/08/2018
4G alcança 4071 municípios no Brasil

01/08/2018
Expansão das telecomunicações garantiu crescimento econômico ao Brasil

01/08/2018
Sucesso à parte, legislação precisa ser atualizada

01/08/2018
Legislação precisa migrar do passado para o futuro

01/08/2018
Privatização ampliou recursos de Pesquisa & Desenvolvimento em telecomunicações

01/08/2018
Telecomunicações têm papel decisivo na transformação digital

31/07/2018
Privatização colocou o Brasil na vanguarda das telecomunicações

31/07/2018
20 anos depois, o setor de telecom e os clientes passaram por uma revolução e anseiam por um Brasil Digital

31/07/2018
Anatel: números expressam o sucesso do modelo




 

20 anos depois, o setor de telecom e os clientes passaram por uma revolução e anseiam por um Brasil Digital

O Brasil avançou muito nessas duas décadas pós privatização e, na opinião dos CEOs das prestadoras de serviços de telecomunicaç ...

LEIA MAIS



Na era digital, o Brasil é o país que mais cobra impostos sobre os serviços aos consumidores

Serviços bons e mais baratos dependem de políticas públicas que permitam baixar a carga de quase 50% de impostos paga hoje pelo ...

LEIA MAIS



4G alcança 4071 municípios no Brasil

Durante os seis primeiros meses do ano, 16 milhões de novos chips 4G entraram em operação, somando um total de 118 milhões de a ...

LEIA MAIS



Brasil Digital - O futuro é agora - é o tema da revista do Painel Telebrasil 2018

Edição da revista, com 104 páginas, consolida os debates realizados no evento, que reuniu a indústria de Telecomunicações.

...

LEIA MAIS



Telebrasil publica os trabalhos do Projeto 5G Brasil

Iniciativa reúne representantes da indústria, as prestadoras de serviços de telecomunicações, o governo federal, a Anatel, a ac ...

LEIA MAIS



Índice de reclamações de usuários de telecom cai 15,6% no 1º semestre

Redução confirma tendência de queda nas reclamações já verificada nos anos anteriores. Em 2017, por exemplo, o índice já tinha ...

LEIA MAIS



Agência Telebrasil Copyright © 2018 Telebrasil - Associação Brasileira de Telecomunicações
A Reprodução do conteúdo da Agência Telebrasil é autorizada mediante a indicação da fonte