Agência Telebrasil
Expediente


A Telebrasil
  • 8, 15, 22 e 29 de setembro, 2020 - Evento Digital

5G exige muito espectro para entregar o que promete
Agência Telebrasil
21/05/2019

A oferta de radiofrequências suficientes é ponto de convergência entre prestadoras, fornecedores e agência reguladora quando se fala das necessidades do País para a nova onda tecnológica.

A revolução prometida pelo 5G, mais do que apenas uma evolução do 4G, está diretamente ligada à quantidade suficiente de espectro nas diferentes camadas de radiofrequências já previstas para a nova onda tecnológica. Este foi um ponto de convergência entre prestadoras, fornecedores e do órgão regulador, a Anatel, que discutiram o assunto na sessão temática Espectro para 5G: um roadmap necessário, realizado no Painel Telebrasil 2019, nesta terça-feira, 21/05, em Brasília.

“Temos que nos preocupar com que a experiência do usuário no 5G seja adequada e represente algo diferente, que não seja mais do mesmo. Para isso vamos precisar de larguras de faixas superiores ao 4G, destacou o gerente de Espectro da agência reguladora, Agostinho Linhares.

O consultor de Tecnologia de Rede da Claro, Carlos Camardella, disse que há uma grande expectativa em cima do 5G e sem frequência será impossível cumprir o que está se anunciando como os ganhos da nova tecnologia. “O que o usuário deseja, de tanto ouvir possibilidades, é mais banda, maior franquia, ou mesmo nenhuma franquia. E está disposto a pagar um pouco mais por isso”, ressaltou.

Para endereçar essas preocupações, os planos da Anatel preveem leiloar, em março de 2020, 300 MHz na faixa de 3,5 GHz; 90 MHz em 2,3-2,4 GHz; e 3.200 MHz na faixa de 26 GHz. O desenho, até aqui, agrada as prestadoras de serviços de telecomunicações.

“A gente fica feliz quando a Anatel separa 300 MHz para a banda de 3,5 GHz. Estamos muito otimistas também pelas ondas milimétricas, especialmente porque em um país como o nosso, com muita deficiência de fibra óptica, as bandas mais altas vão potencializar o backhaul wireless”, lembrou o diretor de Relações Institucionais da TIM Brasil, Leandro Guerra.

Como afirmou o diretor da Qualcomm, Francisco Soares, “a quantidade mínima recomendada em 3,5 GHz é de 80 a 100 MHz por operadora para ter eficiência na conectividade. Na faixa milimétrica, de 800 MHz a 1 GHz é o ideal. Então, essas coisas tem que ser levadas em conta na preparação do edital.”

Para Roberto Falsarella, diretor de Novas Tecnologias e Desenvolvimento de Negócios da Nokia, o desenho indicado pela Anatel e defendido pela indústria também ajudará nos investimentos. “Especialmente nas faixas intermediárias, como 3,5 GHz, será possível usar o arranjo MIMO e, além da largura de banda maior, será possível uma cobertura similar com o reuso do grid macrocelular."

LEIA TAMBÉM:

14/08/2020
Artigo: O que o Brasil precisa resolver antes do leilão de 5G

24/07/2020
Porto Alegre quer ser a cidade da Internet e ser um exemplo para o Brasil

11/02/2020
MCTIC promove bate-papo sobre 5G

11/12/2019
Indústria e prestadoras de telecomunicações se posicionam por um leilão 5G mais eficiente para a sociedade

19/11/2019
5G é a grande oportunidade para ampliar a cobertura

18/11/2019
Testes comprovam a viabilidade técnica da convivência entre o 5G e parabólicas

06/11/2019
5G exige segurança para garantir o retorno para o investimento

09/09/2019
Cobertura rural do 5G exige soluções que atendam ao agronegócio

09/09/2019
Com escala, 5G terá smartphone de US$ 200 em dois anos

09/09/2019
Brasil precisa buscar a produtividade com o 5G


Painel Telebrasil 2020 - Evento Digital - 08, 15, 22 e 29 de setembro 

Banco Central anuncia regulamento do PIX em live do Jota com SindiTelebrasil

O diretor de Organização do Sistema Financeiro e de Resolução do Banco Central (BC), João Manoel Pinho de Mello, garante que o ...

LEIA MAIS



Vivo: digitalização aproxima ainda mais telecomunicações e sistema financeiro

Operadora diz que está negociando parcerias com instituições financeiras e vislumbra o potencial de oportunidades da transforma ...

LEIA MAIS



Mitsubishi Electric cria programa de capacitação gratuita nas novas tecnologias

Empresa global de automação centraliza os treinamentos em big data, machine learning e IoT. As aulas acontecem por meio de apre ...

LEIA MAIS



Organizações reclamam da falta de qualificação dos profissionais de Internet das Coisas

Lacuna de habilidades é um dos pontos críticos para o incremento dos negócios conectados, revela a pesquisa IoT Signals, produz ...

LEIA MAIS



Agência Telebrasil Copyright © 2018-2020 Telebrasil - Associação Brasileira de Telecomunicações
A Reprodução do conteúdo da Agência Telebrasil é autorizada mediante a indicação da fonte