Formação de capital humano para a transformação digital -  Especial - Agência Telebrasil

Sem pessoal, o sistema de Ciência e Tecnologia está em risco no Brasil

29/07/2019

O Brasil corre o risco de um desmonte das instituições ligadas à Ciência e Tecnologia por falta de reposição de mão de obra qualificada. O tema foi debatido em audiência pública promovida pela Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática (CCT). Autor do requerimento para a audiência, o senador Izalci Lucas (PSDB-DF) ressalta que as carreiras de ciência e tecnologia estão presentes em 21 órgãos e instituições do Poder Executivo.

Os servidores são responsáveis por ações em áreas como atividades nucleares, Programa Espacial Brasileiro, medicina nuclear, tratamento de doenças e indústria de defesa, por exemplo. Essas carreiras, segundo o senador, perderam 75% dos quadros nos últimos 30 anos, especialmente por causa da evasão provocada por baixos salários. Atualmente as perdas variam entre 10% e 12% ao ano, em razão de aposentadorias. Em cinco anos, advertiu Izalci, pode haver o desmonte de algumas instituições.

"Estamos vivendo uma crise econômica séria, mas é tiro no pé tirar recursos da ciência e tecnologia. A partir de 2014, os cortes foram muito centrados no setor de Ciência e Tecnologia", lamentou o presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), Ildeu Moreira. 

O secretário-executivo do Fórum Nacional das entidades Representativas das Carreiras de Ciência e Tecnologia, Ivanil Elisário Barbosa, advertiu. "O sistema está morrendo, as pessoas não estão sendo substituídas, e o nosso conhecimento está se esvaindo e nos deixando distantes de outros países.”

O responsável pela área de concurso público do Ministério da Economia, Rafael Castro, disse que, neste momento, o governo trabalha para fortalecer a contratação temporária no setor público como forma de suprir essa ausência de profissionais em função das aposentadorias dos servidores.

Durante a audiência pública, realizada no último dia 17 de julho, os especialistas presentes cobraram o aumento dos investimentos no setor do percentual de 1,1% para 3% do Produto Interno Bruto (PIB) e lembraram que Coreia do Sul e China, se tornaram potências após priorizarem os investimentos na área. "Se o país quer realmente gerar emprego e renda, não há outro caminho que não seja o da ciência e tecnologia", completou o senador Izalci Lucas (PSDB-DF).


Jovem de 18 anos cria modelo de alfabetização a partir do uso da robótica

Filha de pescador e dona de casa, Ivia Tainá está à frente de um projeto que une a tecnologia à educação em Santa Luzia do Itanhy, no Sul do Sergipe.

Universidades voltadas para TICs ainda não entraram no século 21

"As faculdades pararam no século 20. Os cursos são chatos, muito teóricos e com pouca prática. E o que tem de importar é a resolução dos problemas", adverte o especialista Alexandre Nicolini.

Educação a distância remodela a formação dos novos profissionais

Mercado global de capacitação a distância gira, hoje, em torno de R$ 240 bilhões ao ano e tem muito por crescer no Brasil, principalmente, no mercado corporativo, diz Sylvia Meirelles, diretora da edTech Fábrica de Cursos.

Jovens brasileiros não vivem sem a Internet, mas a escola é a base da formação

Um estudo conduzido pela Rede Conhecimento Social, em parceria com o Ibope Inteligência, com jovens entre 15 e 29 anos mostra que para eles a escola e o professor são cruciais na formação profissional e de vida.


Formação de capital humano para a transformação digital - clique aqui e veja todo o especial.

Agência Telebrasil
Copyright © 2019 Telebrasil - Associação Brasileira de Telecomunicações
A Reprodução do conteúdo da Agência Telebrasil é autorizada mediante a indicação da fonte