Formação de capital humano para a transformação digital -  Especial - Agência Telebrasil

Brasil precisa de mecanismos que multipliquem o bom professor por 1000

09/04/2019

Criar uma nova base de profissionais para a transformação digital e para a indústria 4.0 é absolutamente essencial no Brasil, afirma o professor da Fundação Dom Cabral Paulo Vicente Alves. À Telebrasil, o especialista diz que o ensino no Brasil é, hoje, industrial e não autodidata, e as novas tecnologias exigem a multicarreira.

"O ensino mudou. Não podemos mais gerar o autômato. Temos de criar o autônomo. Apostar em quem é criativo, em quem é curioso, em quem saiba criar coisas novas. Em quem quer multicarreiras, mesclando cursos técnicos e superior. Só assim vamos avançar", enfatiza Alves.

Segundo ainda o professor da Fundação Dom Cabral, o Brasil precisa enfrentar a realidade de que não há professores em quantidade e qualidade suficientes para formar 250 milhões de pessoas nas novas carreiras e é necessário investir em mecanismos que sejam capazes de multiplicar o bom professor por 100, 1000.

"O trabalho de ensinar tem de ser repensado. O ensino a distância é uma das modalidades que pode avançar. Na primeira onda, simplesmente replicou o meio físico no virtual. Agora há técnicas novas como a gamificação e outras aparecendo. O bom professor tem de replicar seu conhecimento", argumenta Alves.

Com relação à possível disputa entre robôs e homens, Paulo Vicente Alves comenta que os robôs chegaram para fazer as coisas chatas, perigosas e repetitivas. "O robô não cria, não lida bem com novas pessoas e não resolve problemas. Os robôs chegaram para nos ajudar. Eles pegam as coisas chatas, o humano pensa nas melhores ações."

O papel da Educação no cenário da economia digital vai ser debatido no Painel Telebrasil 2019, que acontece nos dias 21 a 23 de maio, em Brasília. Assistam à entrevista com o professor Paulo Vicente Alves, da Fundação Dom Cabral.

Jovem de 18 anos cria modelo de alfabetização a partir do uso da robótica

Filha de pescador e dona de casa, Ivia Tainá está à frente de um projeto que une a tecnologia à educação em Santa Luzia do Itanhy, no Sul do Sergipe.

Universidades voltadas para TICs ainda não entraram no século 21

"As faculdades pararam no século 20. Os cursos são chatos, muito teóricos e com pouca prática. E o que tem de importar é a resolução dos problemas", adverte o especialista Alexandre Nicolini.

Educação a distância remodela a formação dos novos profissionais

Mercado global de capacitação a distância gira, hoje, em torno de R$ 240 bilhões ao ano e tem muito por crescer no Brasil, principalmente, no mercado corporativo, diz Sylvia Meirelles, diretora da edTech Fábrica de Cursos.

Jovens brasileiros não vivem sem a Internet, mas a escola é a base da formação

Um estudo conduzido pela Rede Conhecimento Social, em parceria com o Ibope Inteligência, com jovens entre 15 e 29 anos mostra que para eles a escola e o professor são cruciais na formação profissional e de vida.


Formação de capital humano para a transformação digital - clique aqui e veja todo o especial.

Agência Telebrasil
Copyright © 2019 Telebrasil - Associação Brasileira de Telecomunicações
A Reprodução do conteúdo da Agência Telebrasil é autorizada mediante a indicação da fonte